Projeto de Arborização Rodovia Rio-Santos

Considerações Gerais

O Rio de Janeiro é o estado que mais vem perdendo áreas recobertas por Mata Atlântica em todo o país, restando apenas 10% com relação à cobertura florestal original. Paraty, no entanto, é o município que concentra os maiores remanescentes da Mata Atlântica do estado, sendo integralmente tombado pelo IPHAN (Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), pelos seus atributos arquitetônicos, históricos, culturais, naturais e paisagísticos.

Em seu território encontra-se o maior Parque Nacional da Mata Atlântica (Serra da Bocaina), a APA do Cairuçu, a Reserva Ecológica da Juatinga e outras unidades de conservação, todas em fase de planejamento para sua implantação, viabilizada por meio de parcerias entre governo, ONGs e iniciativa privada.
 

Estabelecido como importante centro de turismo nacional e internacional, Paraty sofre anualmente o impacto das queimadas que destroem sua biodiversidade, poluem a atmosfera e degradam a paisagem local.

Um dos vetores destas queimadas anuais é a Rodovia Rio-Santos, que atravessa o município por uma extensão de 70 km e que tem suas margens cobertas por capinzal de fácil combustão na estação seca.


Objetivos

Evitar incêndios que se propaguem a partir da Rodovia;
1. Criar uma faixa de proteção para a mata remanescente;
2. Criar condições para a recomposição espontânea da mata;
3. Evitar a poluição atmosférica;
4. Iniciar a recomposição da paisagem, alterada pela construção da estrada;
5. Utilizar o projeto como tema de educação ambiental, tanto para escolares como para a população que vive ao longo da estrada;
6. Garantir a participação da população na solução dos problemas ambientais de nosso Município.

Estratégia de implantação
1. Produção de mudas na Flora Paraty e até 2007 também na Fazenda São Gonçalo;
2. Plantio de árvores de crescimento rápido, de grande porte e folhagem perene, dentro dos padrões estabelecidos pelo antigo DNER, constantes nas "Instruções de Proteção Ambiental das Faixas de Domínio e Lindeiras das Rodovias Federais” (Alínea "E" do manual). O plantio de árvores às margens da estrada evita, pelo sombreamento, a existência do capim seco, onde o fogo encontra condições de se alastrar, sendo uma forma eficiente, barata e bonita de prevenir os incêndios;
3. Instalações de placas conscientizadoras para os usuários da Rodovia;
4. Envolvimento dos alunos das escolas da região e moradores de comunidades adjacentes à estrada com a coleta de sementes, produção de mudas, plantio, proteção e manutenção, como forma de integração da comunidade local com seu ambiente, incentivando o exercício da cidadania e capacitando mão-de-obra local;
5. Obtenção de recursos por meio de campanha de adoção da mudas;
6. Envolvimento dos proprietários de áreas adjacentes à faixa do DNIT.
7. Adesão de ONGs com ação no município.

Plantio
Proprietários lindeiros vêm realizando, desde 2001, plantios dispersos ao longo da BR.
O plantio sistematizado poderá ser executado através da Cooperativa dos Jardineiros de Paraty, com a cooperação de parceiros, constando das seguintes operações:
1. Roçada manual,
2. Retirada do material,
3. Coroação,
4. Abertura das covas,
5. Calcário + Plantio,
6. Tutoramento,
7. Cobertura morta,
8. Irrigação, se necessária,
9. Combate à formigas,
10. Transporte,
11. Administração
12. Custo estimado para o plantio: R$ 6,00 por árvore

Manutenção
A manutenção constará das seguintes operações:
1. Combate às formigas,
2. Roçada e/ou coroação anual,
3. Limpeza de cova,
4. Adubação anual,
5. Replantio eventual,
6. Transporte,
7. Administração

8. Custo estimado para a manutenção: R$ 3,00 por árvore/ano.

Monitoramento e Avaliação
O acompanhamento da implantação e posterior manutenção será feito através de vistoria e relatório mensal dos trabalhos executados. Para tanto, serão usadas seções da estrada constantes no projeto rodoviário fornecido pelo DNIT e infra-estrutura de informática a ser definida.

Programa de adesões
Patrocinadores permanentes: As mudas foram dadas pela Prefeitura de Paraty na primeira fase em 2001 e serão fornecidas pela São Gonçalo Empreendimentos Imobiliários e Urbanísticos Ltda na segunda fase (10.000 mudas de árvores por ano durante 3 anos).
Administração dos serviços de campo: Flora Paraty ou Cooperativa dos Jardineiros.
Tipos de adesões:
1. Proprietários lindeiros:
- plantio e/ou manutenção até formação da copagem
- contribuição: mão-de-obra própria
2. Empresas:
2.1 - plantio e manutenção
- contribuição: em reais
2.2 - doação de insumos
® formicida, adubo e herbicida
- transporte mão-de-obra
® por ex: ônibus
- transporte mudas
- transporte material roçado
® para evitar incêndios
- transporte água p/ irrigação
- placas educativas
3. Individual:
- plantio e/ou manutenção
- contribuição: em reais
4. Alunos:
- plantio educativo.

Conclusão das primeiras fases
2001:
Doações:
500 mudas: Prefeitura de Paraty e SOS Mata Atlântica
60 m³ substrato (para o Horto): Flora Paraty

Plantio:
Alunos do CIEP, coordenados pelo prof. Amaury : 170 árvores
Proprietários lindeiros: Santa Clara Hotel 200 mudas
Pedro Kontik 100 mudas
Lú Flora 40 mudas
Família Santana 40 mudas
Total 2001: 550 mudas plantadas.

• 2003:
Plantio: Marina Porto Imperial: 140 mudas.

• 2005:
Plantio: Alunos do Educandário Torres Pédua: 50 mudas
Jardineiros da Graúna: 160 mudas
Total 2005: 210 mudas plantadas.

• 2006:
Doações:
1.700 mudas de Bambu gigante Fazenda São Gonçalo
2.682 mudas de árvores Fazenda São Gonçalo
60 mudas Flora Paraty



 

 


Plantio:
Fazenda São Gonçalo 1.600 mudas de Bambu gigante + 240 mudas de árvores
Jardineiros da Graúna 300 mudas de árvores  + 100 mudas de Bambu gigante
Santa Clara Hotel 120 mudas de árvores
Ademar Alves Cardoso 60 mudas de árvores
Zé da Miloca 42 mudas de árvores
Partido Verde 60 mudas de árvores
João Carlos da Graúna 600 mudas de árvores
Associação Cairuçu / Lobinho Guará 100 mudas de árvores
Fino jardineiro 100 mudas de árvores
William jardineiro 100 mudas de árvores
Carminha da Tarituba 100 mudas de árvores
Orlando Calegari 20 mudas de árvores
Tymur Klink 1.000 mudas de árvores
Total 2006: 4.442 mudas plantadas.

• 2007:
Doações:
5160 mudas de árvores Fazenda São Gonçalo
Plantio:
João Carlos da Graúna - 500 mudas de árvores
Tymur Klink - 1.000 mudas de árvores + replantio 320 mudas de árvores
Mausinho - 20 mudas de árvores
CELAVI - 80 mudas de árvores
Regina Calegari - 100 mudas de árvores
Ademar Alves - 20 mudas de árvores
Flora Paraty, replantio - 150 mudas de árvores
Santa Clara Hotel, replantio - 100 mudas de árvores
Toque-Toque Empreendimentos - 1.500 Ipês amarelos- Km 534-539 Belvedere/Tarituba
Toca do Pastel - 50 Ingás, Grumichama, Clitória- Km 560 Praia Grande Mirante das Ilhas 50 Ingás, Grumichama, Clitória- Morro da Graúna
Colégio Objetivo - 40 Ingás - Km 569 Jabaquara
Escola Pequenina Calixto - 30 Ingás – Km 568 Trevo Jabaquara
CIEP - 60 Ingás - Km 572-1 Flora Paraty
D. João - 100 Triplaris- Km 572-1/oeste Selvamar
Escolas: Plante, Pantanal e EducandárioTorres Pádua - 100 Ingás - Km 577-579 Rio dos Meros/ Coqueiro
Adventure Turismo - 100 Ingás, Clitória, Grumichama re-plantio Km 577-579
Jardineiros da Graúna - 200 mudas diversas Km 580 Paraty Mirim
Monitores do Meio Ambiente do Patrimônio - 100 mudas diversas re- plantio Sul do trevo de Paraty
Jardineiros da Graúna - 220 Ingás - Km 585-586- Patrimônio
Família Santana - 110 mudas diversas Km 587- Patrimônio
Quilombolas - 300 mudas diversas –Km 585-586 Campinho
Barraca da Dalva -80 mudas diversas
Chico e Rogério - 40 Ipês- Curva do Alemão + 20 mudas diversas- oposto ao Zé da Miloca
Sapê - 30 mudas diversas – re-plantio sul do Rio dos Meros
Total 2007: 5.620 mudas plantadas